MOLDETIPO GROUP DÁ FORMAÇÃO SOBRE MOLDES DE ÁGUA PARA ENGENHEIROS DE UM CONSTRUTOR ASIÁTICO

MOLDETIPO VENCE PRÉMIO INTERNACIONAL NA ALEMANHA COMO MELHOR MOLDISTA

MOLDETIPO GROUP CONVIDADO DO INDIAN BUSINESS SEMINAR AO LADO DA EMBAIXADORA DA ÍNDIA E MINISTRO DA ECONOMIA

INVESTIMENTO EM TECNOLOGIA DE PONTA PARA MELHOR RESPOSTA AO CLIENTE

Projeto & Engenharia

Asseguramos o apoio técnico após envio do molde (também nas instalações do cliente)

Produção

De análise de enchimento a engenharia invertida com laser scanning, a Moldetipo busca 100% de satisfação do cliente

Testes injecção

Testes nas nossas instalações, com 6 máquinas entre 150t e 1250t (com braço robot) + 2K

Controlo qualidade

A (re)conhecida experiência e qualidade dos técnicos portugueses, apoiados na melhor programação CNC + EDM + Wire cutting

Após-venda

Investigação e Desenvolvimento de soluções tecnológicas para obter moldes com a qualidade Moldetipo

portfólio
VENHA CONHECER A MOLDETIPO!

A Moldetipo Group é uma empresa de engenharia e produção de moldes, localizada no cluster da Marinha Grande, em Portugal. Exporta 100% da sua produção e tem forte presença na indústria automóvel, bem como Electrónica e Houseware. A Moldetipo Group é especialista em moldes 2K (bi-matéria) e é líder nacional em moldes para water-assisted injection technology (WIT).

Últimas noticías
+
China passou de fornecedor a cliente da portuguesa Moldetipo

A China passou de fornecedor a cliente da Moldetipo, uma empresa que produz moldes de plástico para gigantes automóveis como a Audi ou a BMW e que é a única empresa portuguesa no ramo com uma fábrica na Índia.

Lusa  |  16 NOVEMBRO, 2016
+
Moldetipo: Não existem fronteiras para quem tira partido do ‘know-how’ nacional

Empresa de moldes sediada na Marinha Grande celebra 20 anos com aposta no mercado indiano e investimentos nas suas instalações.

BRUNA SANTOS   |   20 OUTUBRO, 2016
+
Moldetipo cria empresa na Índia

O grupo Moldetipo firmou uma joint venture no sul da Índia, da qual resultou a criação de uma empresa onde detém 40% do capital.

Jornal de Leiria  |  13 OUTUBRO 2016